Ao menos uma vez ao ano é necessário fazer um check up para ver como está a saúde do corpo. Sem falar que são necessários cuidados e prevenções constantes. Quando o assunto é o carro, não é diferente. A atenção deve ser diária para a precaução contra problemas que podem colocar em risco a segurança da família e de outras pessoas. É preciso estar atento aos sinais de que tem algo errado com o carro, o que pode demandar urgência na troca dos pneus. Sobretudo, porque pneu em dia é uma questão de segurança e legislação. Já diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar.
Diversos são os sinais de alerta que indicam que o carro está em perigo com o pneu. Entretanto, a atenção deve estar voltada para cinco deles que os especialistas da Autech Centro Automotivo apontam como os mais temerários:

1. O condutor deve estar atento às bolhas laterais, porque o pneu tem grandes chances de estourar. As bolhas internas são mais difíceis de serem percebidas do que as externas, e acontecem pela ruptura da estrutura lateral do pneu, geralmente causadas pelo impacto do pneu em alguma irregularidade na pista (buraco, tachão, etc). A calibragem correta é fundamental para a prevenção desse tipo de falha.

03

 

2. Qualquer tipo de dano lateral ao pneu, que atinja a estrutura lateral do mesmo, seja um pequeno furo ou o rompimento devido a impactos com buracos, tachões ou meio fio de calçada, não são passíveis de conserto, conforme orientação dos fabricantes. Nesses casos, é necessária a substituição imediata do mesmo. Muitos borracheiros ainda utilizam a técnica de vulcanização a quente na parede lateral para tentar salvar o pneu.

04

 

3. A ultrapassagem do limite TWI (saliência no sulco do pneu) é o que indica o desgaste do pneu. Conforme a legislação, o limite mínimo da profundidade deve ser de 1,6 mm. Não hesite, qualquer problema com os pneus do seu carro, procure a Autech Centro Automotivo, com profissionais capacitados que poderão identificar a melhor solução.

01

 

4. O aparecimento da camada de arames, que impõe a rápida substituição do pneu. Entretanto, o correto é não permitir que isso ocorra, pois o pneu pode estourar, bem como prejudicar a condução e a frenagem. A estabilidade do carro estará muito comprometida. Essa é uma etapa posterior à ultrapassagem do TWI, ou seja, o condutor foi alertado do desgaste e continuou rodando até terminar com todas as camadas de borracha da banda de rodagem, chegando à estrutura da carcaça (composta de lonas de arame de aço). Muitas vezes o desgaste se dá de forma irregular, ou seja, localizado em um dos lados da banda de rodagem. Se o lado atingido for o externo, voltado para a lateral externa do carro, o condutor pode detectar mais visual e facilmente, porém quando o desgaste é no lado interno da banda, voltado para o interior do veículo, a visualização se torna mais difícil, exigindo uma inspeção com o veículo erguido.

05

 

5. Os motivos da separação da banda de rodagem dificilmente são descobertos, mas alguns fatores, como pneu incorretamente calibrado, furo mal consertado, impactos de buracos em altas velocidades, entre outros, podem influenciar nesse resultado. A separação da banda de rodagem é a última etapa da falha, e quando ocorre o veículo fica imediatamente impossibilitado de rodar. Antes disso acontecer, o condutor percebe anormalidades na condução do veículo e deve buscar ajuda de especialistas.

02

 

Compartilhe